Inscreva-se na newsletter

Inscreva-se na newsletter de Stellantis Communications e fique atualizado sobre todas as novidades

30 set 2021

Giulia GTA esgotado: uma história de paixão autêntica

Todas as unidades exclusivas que fazem parte do projeto GTA encontraram agora o seu lugar nas casas de 500 entusiastas de automóveis     

Giulia GTA esgotado: uma história de paixão autêntica
  • Todas as unidades exclusivas que fazem parte do projeto GTA encontraram agora o seu lugar nas casas de 500 entusiastas de automóveis    
  • O ícone de elevado desempenho da Alfa Romeo - o automóvel mais potente de sempre produzido pela marca - completa a sua viagem ao tornar-se um automóvel de coleção
  • Um projeto produzido, concebido e inspirado no seu precursor de 1965, criado pela Autodelta em Arese.

Para todos os efeitos, o Giulia GTA é agora um automóvel de coleção. Apresentado à imprensa internacional no passado mês de maio, as 500 unidades numeradas foram todas vendidas a clientes de todo o mundo, com volumes significativos na China, Japão e Austrália, tornando-o num sucesso comercial a nível internacional.

Uma história de autêntica paixão, foi um projeto com um forte elemento emocional que produziu um automóvel não só para os entusiastas da marca, mas também para os de automóveis desportivos em geral. Quando a Alfa Romeo decidiu prestar homenagem aos seus fãs, como parte das celebrações do seu 110º aniversário, os seus pensamentos voltaram-se imediatamente para o Giulia GTA de 1965, um dos modelos mais icónicos e bem-sucedidos da história da marca.

Um projeto inspirado no Giulia GTA de 1965

A Autodelta Racing Team desenvolveu o GTA de 1965 em Balocco, onde uma equipa de mecânicos trabalhou horas extraordinárias num projeto que transformou um automóvel icónico num verdadeiro veículo de pista. Da mesma forma, a equipa que concebeu o atual Giulia GTA trabalhou no projeto de uma forma não convencional, com o objetivo de dar uma nova vida a um capítulo memorável da gloriosa história da Alfa Romeo. Os engenheiros e mecânicos desenvolveram o projeto - com o nome de código "O Monstro" - nos mesmos locais onde o Giulia de 1965 nasceu. Em homenagem a esse espírito, o GTA ostenta, agora e orgulhosamente, o mesmo emblema histórico da Autodelta. O Giulia GTA de 1965 foi produzido em 500 unidades, o número necessário para a homologação de modelo desportivo na classe Group 2 Turismo, o mesmo número de unidades exclusivas que está agora reservado para os verdadeiros fãs da marca.

As afinidades não se ficam por aí e estendem-se à vertente técnica do projeto. Em termos de alleggerimento (redução de peso), as equipas trabalharam em elementos de design específicos para ambos os carros, incluindo os puxadores, janelas e jantes (as últimas, feitas de liga de magnésio no GTA de 1965, e no caso do seu homólogo atual, contam com um design específico e com uma única porca de aperto, uma solução inspirada na Fórmula 1 - única no segmento dos sedans de estrada). Dignos de nota são igualmente os materiais leves utilizados na carroçaria (Peraluman 25 no GTA de 1965 e uma utilização extensiva de fibra de carbono no modelo atual).

Uma outra relação em termos de aerodinâmica reside na adição de entradas de ar em ambos os modelos. Este campo estava apenas nos seus primórdios em 1965, enquanto que o atual GTA beneficiou da colaboração com a Sauber Engineering e dos seus 50 anos de experiência no desporto automóvel, um participante ativo na conceção, prototipagem e produção de componentes aerodinâmicos, graças ao seu próprio túnel de vento - um dos mais avançados da Europa.

Uma derradeira afinidade entre os dois modelos é o apoio prestado ao projeto por profissionais da competição: os pilotos Teodoro Zeccoli e Andrea de Adamich, cujos maiores sucessos foram no Giuia GTA; e os dois pilotos Alfa Romeo Racing ORLEN F1, Antonio Giovinazzi e Kimi Räikkönen, que desempenharam um papel ativo em sessões de testes em pista, durante as quais forneceram indicações inestimáveis, especialmente sobre os componentes aerodinâmicos do automóvel e o seu comportamento.

A coerência do trabalho com o passado permitiu assim manter uma característica específica que sempre foi a assinatura de uma criação Alfa Romeo: Beleza Funcional. Um design único, pela sua base na habilidosa combinação de forma e função. De facto, o estilo do automóvel deve corresponder a um princípio de beleza abrangente, para transcender a passagem do tempo, mantendo a funcionalidade em benefício das eficiências aerodinâmica e mecânica. Esta máxima é perfeitamente ilustrada no novo Giulia GTA.

Portela, 30 de setembro de 2021

 

Outros materiais

Inscreva-se na newsletter.

INSCREVA-SE AGORA