Inscreva-se na newsletter

Inscreva-se na newsletter de Stellantis Communications e fique atualizado sobre todas as novidades

08 jan 2021

Abarth, um ano de sucessos

Abarth, um ano de sucessos

 

  • Para a Abarth, 2020 foi um ano recheado de êxitos: na competição, o Abarth 124 rally ganhou a Taça FIA R-GT – basicamente o campeonato mundial de Gran Turismo – pelo terceiro ano consecutivo.
  • Campeonatos italiano e alemão de F4 “powered by Abarth”: uma história de sucesso e promoção de jovens talentos que continua.
  • No campeonato italiano de F4, o jovem Gabriele Minì foi o primeiro italiano da história a vencer esta competição.
  • Sucessos comerciais, também: a quota de mercado subiu quase 50% em comparação com o ano transato, estabelecendo um recorde histórico, e os 595 Scorpioneoro e 595 Monster Energy Yamaha atingiram 80% das suas vendas fora do mercado doméstico italiano.
  • Além de vitórias nas estradas, o Abarth Digital Day conquistou para a marca o Guinness World Record™ como o maior encontro digital de sempre.

 

 

Foi um 2020 cheio de satisfações para a Abarth, que registou importantes vitórias desportivas nos ralis e nos circuitos, além de sucessos comerciais com as suas mais recentes séries especiais.

 

Luca Napolitano, Responsável das Marcas Fiat, Lancia e Abarth para a região EMEA: “Estamos orgulhosos de celebrar, pela terceira vez consecutiva, a vitória na Taça FIA R-GT – basicamente o campeonato mundial de Gran Turismo – com o italiano Andrea Mabellini ao volante do Abarth 124 rally. O piloto ganhou ainda a Abarth Rally Cup 2020. Depois de vencer três campeonatos consecutivos, o 124, com mais de 100 vitórias, continua a ser o carro a abater na classe R-GT. Gostaria ainda de felicitar Gabriele Minì, um jovem talento nacional, uma promessa no desporto motorizado internacional e o primeiro italiano a ganhar o campeonato de F4 do seu país, e Jonny Edgar, vencedor do campeonato de F4 alemão.”

 

A promoção de jovens talentos – basta pensar que 7 dos 10 melhores na classificação do campeonato de F4 são iniciantes, incluindo Minì – e o desporto motorizado fazem parte da história da Abarth. Em particular, a competição sempre foi o melhor e mais duro centro de testes para pôr motores e soluções tecnológicas à prova, em condições extremas, e melhorar o desempenho e a fiabilidade tanto nos modelos de competição como nos de produção em série, neste caso graças à transferência de tecnologia.

 

Apesar do complexo período, a Abarth também sobressaiu pelos interessantes resultados alcançados no campo comercial. O lançamento das duas séries especiais, o 595 Scorpioneoro e o 595 Monster Energy Yamaha, com produção limitada a 2000 unidades cada, foi um êxito e os resultados ficaram à vista no aumento da quota de mercado de cerca de 50% em comparação com o ano anterior e no facto de cerca de 80% das vendas terem sido feitas fora de Itália.

 

Com estes sucessos como ponto de partida, a marca do Escorpião está pronta para aceitar os novos desafios impostos seja pela vertente desportiva, seja pelo mercado internacional, dando continuidade à renovação da gama em 2021: novas cores, novos acabamentos e novos detalhes para realçar as duas almas da marca – estilo e performance. A nova gama será revelada em breve e chegará a todos os concessionários a partir de fevereiro. A Abarth também continuará a consolidar o seu empenho na competição, participando nos campeonatos de Fórmula 4 com o objetivo de exportar este formato vencedor para os campeonatos estrangeiros mais interessantes, tanto sob o ponto de vista desportivo como competitivo. Também a colaboração com equipas de ralis privadas prosseguirá como parte do projeto ‘Abarth Customer Sport’ com apoio técnico e tecnológico nos locais das provas.

 

Novos Abarth 595 Scorpioneoro e Abarth 595 Monster Energy Yamaha, as duas almas da Abarth

A transferência de tecnologia da competição para a produção em série está claramente patente no Abarth 595 Scorpioneoro e no Abarth 595 Monster Energy Yamaha, as duas séries especiais lançadas em setembro equipadas com motor de 1,4 litros Abarth T-Jet, que serve de base também aos monolugares de Fórmula 4. Os dois novos modelos personificam a dupla alma da marca e os seus valores fundamentais: Herança e Divertimento, respetivamente.

 

O adrenalínico Abarth 595 Monster Energy Yamaha é a expressão perfeita dos valores partilhados pela Abarth e pela Yamaha, assentes em performance, competição, tecnologia e divertimento. Produzido numa edição especial de 2000 unidades, o novo modelo vai buscar inspiração, tanto para o exterior como para o interior, à decoração da Monster Energy Yamaha MotoGP YZR-M1 de 2020, com a “garra Monster” acrescentada ao capô como tributo à nova colaboração com a conhecida bebida energética. A parceria com a Yamaha dura desde 2015 e, com o lançamento desta nova série especial, a ligação foi reforçada com base na capacidade de superar barreiras desportivas e de competição ao “entrar em campo” com muitas séries especiais recheadas de adrenalina: o Abarth 595 Yamaha Factory Racing Edition (2015), o modelo de dois lugares Abarth 695 biposto Yamaha Factory Racing Edition (2015) e, por fim, a edição limitada Abarth 695 XSR Yamaha (2017).

 

A segunda série especial, o incomparável Abarth 595 Scorpioneoro, é uma edição limitada de apenas 2000 unidades que presta homenagem à sua fonte de inspiração, o exclusivo A112 Abarth “Gold Ring”, mais conhecido junto dos fãs como A112 Abarth “Targa Oro”. Uma viatura verdadeiramente única, com apenas 150 unidades produzidas em 1979, todas com carroçaria preta, pormenores dourados, sofisticado interior e ampla gama de conteúdos de série, seguindo a tradição italiana dos modelos de “granturismo”.

 

Mais informações sobre as duas séries especiais Abarth disponíveis aqui.

 

Os sucessos desportivos da época de 2020

Entre os principais triunfos da última época, os destaques incluem a terceira vitória consecutiva da marca do Escorpião na Taça FIA R-GT, conquistada pelo jovem italiano Andrea Mabellini, navegado por Virginia Lenzi, numa viatura da equipa Bernini Rally. Em 2018, foi o francês Raphaël Astier quem conquistou o prestigiante título, enquanto em 2019 a vitória foi para o italiano Enrico Brazzoli. Mabellini venceu também a Abarth Rally Cup 2020, campeonato monomarca para pilotos a concorrer para os europeus a bordo do Abarth 124 rally.

 

Pura adrenalina também nos campeonatos de F4 “powered by Abarth” na Alemanha e em Itália, cujos calendários eram interligados e alternados, onde os monolugares com motor Abarth viram um total de 18 vencedores diferentes e 23 pilotos a subir ao pódio. Mas no fim dos campeonatos, cada um deles só tinha um vencedor.  Em Itália, pela primeira vez em 7 edições, foi um italiano a triunfar: o jovem Gabriele Minì, de 15 anos, somou 4 vitórias e 15 classificações pontuáveis, tendo conquistado a época com uma semana de antecedência. As emoções foram igualmente fortes no campeonato de F4 alemão, ganho pelo britânico Jonny Edgar, de 16 anos. Durante a época, conseguiu 6 vitórias e 13 classificações, tendo conquistado o título na última prova, depois de renhida luta com o americano Jak Crawford e o finlandês Elias Seppänen, os outros dois concorrentes. O traço comum que liga os dois campeonatos é o motor de 1,4 litros Abarth T-Jet de 160 cv, que provou as suas grandes performances e fiabilidade.

 

Iniciada em 2014, com base numa ideia de Jean Todt, presidente da FIA, a Fórmula 4 escolheu a Abarth como parceira técnica para fornecer os motores. Graças à excelente relação peso/potência, o potente e fiável motor de 1,4 litros Abarth Turbo de 160 cv montado nos monolugares Tatuus garante excelentes performances (velocidade máxima de 240 km/h e aceleração de 0-100 km/h em cerca de 5 segundos). A sua reconhecida fiabilidade significa também que é possível manter sob controlo o custo de uma época em termos de equipas e pilotos. Satisfaz, assim, a exigência da FIA de formar pilotos para a classe Fórmula do futuro, sendo, portanto, sustentável graças ao baixo custo por época, em linha com os valores da FIA e da Abarth de promover jovens talentos. Desde 2014, foram mais de 350 os pilotos que desceram às pistas para provar a sua perícia. Nalguns casos, chegaram ao topo da sua especialização, como, por exemplo, Lance Stroll, o primeiro vencedor do Campeonato italiano de F4 “powered by Abarth”, em 2014, que é agora piloto de Fórmula 1. Também o alemão Mick Schumacher, filho do ex-piloto da Ferrari, Michael, correu em F4 em 2016, tendo conquistado este ano o Campeonato Mundial de Fórmula 2.

 

Sucesso também nas plataformas digitais

A extensa legião de fãs do Escorpião continua a envolver-se entusiasticamente, mesmo o ano passado, quando o evento Abarth Day se realizou de forma virtual. De facto, esta enorme comunidade permitiu que a Abarth conquistasse um Guinness World Record™. Os membros da “família” Abarth juntaram-se na Web para um espetacular evento online, com uma adesão tal que este se tornou o maior encontro digital do mundo, graças à participação dos fãs, que enviaram 868 fotos dos seus Abarth para a página especialmente criada no Facebook, numa hora: este foi o recorde estabelecido pelo Abarth Digital Day.

 

Porto Salvo, 8 de janeiro de 2021

Inscreva-se na newsletter.

INSCREVA-SE AGORA